4 cartões postais que são pura matemática

01 de janeiro

Figuras famosas no mundo inteiro carregam conceitos das ciências exatas

Aqui no blog do Mentalidades Matemáticas você já viu que, muito além dos livros didáticos, a matemática está presente na natureza, em pinturas e até na música. Mas não é só. Na sua próxima viagem, experimente fazer O jogo do espião e procurar a disciplina no que você vê. O resultado poderá te surpreender, porque de esculturas a calçadas famosas, a matemática está lá, por trás dos mais icônicos cartões postais. Para provar, separamos alguns exemplos. Confira:

Calçadão de Copacabana (Rio de Janeiro, Brasil)

Simetria é a preservação da forma através de um ponto, uma reta ou um plano. Com base nesse conceito, para descrever o Calçadão de Copacabana matematicamente, podemos dizer que ele possui simetria 22*. Para visualizar, experimente traçar, mentalmente, uma reta vertical sobre o meio de dois arcos da calçada. A figura é simétrica por reflexão a partir desse eixo, ou seja, o ponto original e seu correspondente na reflexão têm a mesma distância em relação ao eixo. O eixo ainda apresenta dois centros de rotação de 180° (por isso o 22 da descrição; o * representa o “espelho”, já que a figura é simétrica por reflexão).

A calçada de Copacabana é inspirada no calçamento da Praça do Rocio, de Lisboa, Portugal, portanto podemos encontrar esses mesmos conceitos matemáticos em outros cartões postais pelo mundo afora.

Piso paulista (São Paulo, Brasil)

Aplicando os mesmos conceitos anteriores, podemos observar que o chamado piso paulista – tipo de calçamento que imita o mapa do estado de São Paulo e cobre ruas de sua capital – tem simetria 2222. Isso significa que você pode visualizar 4 pontos de rotação distintos no piso e, ao girar 180° em torno desses pontos, a figura permanece a mesma (entendeu os 4 números 2 da descrição?).

Reprodução Instagram CalçadaSP

Taj Mahal (Agra, Índia)

Se observarmos, o mausoléu construído pelo imperador Shah Jahan em memória de sua esposa Mumtaz Mahal é perfeitamente simétrico. Olhe para a imagem abaixo e note que se passarmos uma reta bem no meio da construção, as duas metades serão idênticas:

Sugestão de imagem: https://br.freepik.com/fotos-gratis/foto-hipnotizante-do-famoso-historico-taj-mahal-em-agra-india_10399340.htm#page=1&query=taj%20mahal&position=3 

Torre de Pisa (Pisa, Itália)

O famoso monumento italiano costuma ilustrar exercícios de provas e exames graças à sua principal característica: seu ângulo de inclinação. Se observarmos a construção, portanto, podemos visualizar conceitos de trigonometria. Vale saber que, atualmente, o ângulo de inclinação da torre é de cerca de 4°. Mas por que ela não cai? Em uma de suas diversas reformulações, engenheiros conseguiram equilibrar sua estrutura, mas mantiveram a inclinação para não perder a identidade tão famosa. Um grupo de pesquisadores britânicos, ainda, descobriu que características do solo também são responsáveis por mantê-la em pé, inclusive após terremotos. 

Sugestão de imagem: https://pixabay.com/pt/photos/it%C3%A1lia-pisa-torre-inclinando-se-2822840/

Referências externas:

Simetria, encontro da arte com a matemática – IMPA

Simetria e transformações – PUC-SP

Por que a Torre de Pisa é inclinada e não cai? – Alex Gendler | TED-Ed

Mistério da Torre de Pisa de 500 anos revelado por engenheiros – Universidade de Bristol