As lições de Ubiratan D’Ambrosio

Ubiratan D'Ambrosio

Na última quarta-feira (12), o Brasil se despediu de um dos seus maiores nomes da educação matemática. Ubiratan D’Ambrosio (1932-2021) ficou reconhecido em todo o país e internacionalmente por ter sido um dos criadores da etnomatemática, conceito que reconhece não só um, mas diferentes saberes e fazeres matemáticos. 

Professor emérito da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e com passagem por diversas entidades de ensino, D’Ambrosio procurava mostrar em seu trabalho a importância do resgate da matemática como parte da vida cotidiana, longe dos estereótipos que muitas vezes assustam os alunos. 

“Olhar, classificar, comparar são princípios da matemática. Se alguém estender uma mão cheia de balas e outra com poucas para que uma criança escolha, ela reconhece a diferença de quantidades e vai optar pela mão cheia. Isso é uma aplicação cotidiana e prática da matemática”, ilustrou em entrevista ao Diário do Grande ABC, em 2003. 

Essa espontaneidade exemplificada pelo educador, segundo ele, é parte fundamental da matemática, mas acaba perdida quando o ensino se encaminha para o abstrato, e daí a relação entre os alunos e a disciplina se distancia. 

“Os professores precisam aproximar a disciplina do que é espontâneo, deixar a criança à vontade, propor jogos, distribuir balas, objetos, para que o aluno se sinta bem. A criança adquire habilidades para a matemática em casa, no meio em que vive. Cada um tem um modo próprio de aplicá-la. Só que na escola dizem que a matemática não se faz do jeito de casa. Rechaçam esse conhecimento que o aluno traz e isso cria conflito.”

Etnomatemática

É para aproveitar o contexto de cada aluno que a etnomatemática entra em cena. Trata-se de uma proposta educacional que considera os conhecimentos trazidos pelo próprio estudante. E isso se aplica mesmo quando falamos da criança que está na escola pela primeira vez. Ela também já viveu anos produtivos e traz uma bagagem da família, da casa, do seu meio.

Em entrevista ao canal History of science, D’Ambrosio falou mais sobre a etnomatemática recordando sua trajetória. Ele contou que começou a questionar a maneira como a matemática era conhecida, como um produto essencialmente ocidental, a partir de uma experiência na República do Mali, na África, onde lecionou em uma pós-graduação a convite da Unesco. Lá ele conheceu uma matemática com outras características, trazendo o impulso à etnomatemática que reconhece diferentes saberes e fazeres matemáticos.

Ele descrevia seu programa como: “essencialmente, implica uma análise de como grupos de seres humanos geraram formas, estilos, artes e técnicas de fazer e de saber, de aprender e explicar, como lidam com situações e resolvem os problemas do seu cotidiano, do seu ambiente natural e sociocultural”, segundo colocou em seu artigo Etnomatemática, justiça social e sustentabilidade.

Legado reconhecido

As constatações de Ubiratan D’Ambrosio foram reconhecidas pela própria Comissão Internacional de História da Matemática, que o laureou com o Prêmio Kenneth O. May em 2001, por suas contribuições à história da disciplina. Em 2005 ele ainda recebeu a Medalha Felix Klein pela Comissão Internacional de Instrução Matemática. 

O educador, também, foi um dos fundadores do Centro Internacional de Pesquisa e Estudos Transdisciplinares (CIRET). Localizado em Paris, o local se figura entre os principais dedicados ao conceito da transdisciplinaridade, que consiste na “abertura de todas as disciplinas ao que as atravessa e as ultrapassa”, conforme descrito no I Congresso Mundial de Transdisciplinaridade. Na educação, trata-se da conexão entre assuntos de disciplinas distintas, ampliando o conhecimento.

Reconhecer a história de educadores inspiradores como D’Ambrosio e a diversidade do conhecimento nas mais variadas culturas e contextos são práticas incentivadas pelo Mentalidades Matemáticas, para que os professores levem em sala de aula. O grande legado do educador brasileiro permanecerá vivo para sempre!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *