Dia da língua portuguesa! Fera em português, expert em matemática

10 de junho

Algumas pessoas mais velhas costumam dizer que “ver é diferente de enxergar” e que “ouvir não é a mesma coisa de escutar”. Uma pesquisa publicada em 2018 evidenciou que “ler é diferente de compreender”, ao revelar que três em cada dez brasileiros são analfabetos funcionais.

O analfabetismo funcional é um dos temas que costumam ser debatidos no dia 10 de junho, quando é celebrado o Dia da Língua Portuguesa.

E o que isso tem a ver com o ensino da matemática? Tudo.

Grande parte das queixas de professores e estudantes de matemática passa pela dificuldade na interpretação dos enunciados. Antes de transformar o problema numa sequência de operações matemáticas, é preciso que se entenda do que a questão está falando.

Ao contrário da objetividade da linguagem matemática, o que se encontra na Língua Portuguesa ou em outras formas de representação são diferentes possibilidades de interpretação. Afinal, como você interpreta uma expressão como “um balde quase cheio”?

No artigo “Linguagem matemática e Língua Portuguesa: diálogo necessário na resolução de problemas matemáticos”, a pesquisadora Edi Lorensatti argumenta que um enunciado matemático só pode ser considerado um problema se a sua solução demanda interpretação para tomada de decisões.

Ou seja, a resolução de problemas matemáticos não se trata de decoreba de fórmulas. Ela começa nas aulas de… Língua Portuguesa. Ler para compreender. Se não consegue interpretar o enunciado, dificilmente o estudante chegará à solução.

Que tal inovar na sua próxima aula de matemática e propor à turma um exercício de interpretação de texto?