Mentalidades Matemáticas é destaque no site de educação Porvir

27 de janeiro

Reportagem apresenta abordagem e Curso de Férias realizado em janeiro

“Vale errar, conversar com o colega e não precisa ter pressa para chegar ao resultado final.” Assim o site especializado em educação Porvir resume um princípio do Programa Mentalidades Matemáticas na abertura de sua reportagem sobre o Curso de Férias realizado em janeiro com alunos de escolas municipais de Cotia (SP).

Na entrevista ao repórter Vinicius de Oliveira, a presidente do Instituto Sidarta, Ya Jen Chang, explica que “ensinar os cálculos para as crianças de forma colaborativa e com desafios estimula a derrubada de mitos que fazem as pessoas sentirem aversão à matemática durante toda a vida”. O primeiro mito seria a relação com o erro que, diferentemente do ensino regular, é incorporado e valorizado no processo de aprendizagem. Estudos de neurociência, que fundamentam a abordagem, mostram que errar faz o cérebro se desenvolver ao buscar soluções.

Outro mito derrubado é o de que é preciso ser rápido para ser bom em matemática. “A presidente do Sidarta lembra que matemáticos premiados continuam tão lentos quanto na época da escola e hoje sabem que uma coisa não tem nada a ver com a outra”, cita a matéria.

O texto destaca que a abordagem foi desenvolvida por Jo Boaler, da Faculdade de Educação da Universidade Stanford (EUA) e autora do livro Mentalidades Matemáticas, e apresenta atividades disponíveis na plataforma YouCubed, como a “Torre de Blocos” e o “Exercício do Cubo”.

Também foi entrevistado o diretor do Centro de Pesquisa YouCubed da Universidade Stanford, Jack Dieckman, que esteve no Brasil para acompanhar o Curso de Férias e coordenar uma pesquisa sobre aplicação da abordagem de ensino de forma intensiva. Jack reforça que o medo da matemática não é apenas dos alunos. “Professores de ensino fundamental 1 também têm relação de medo diante da matemática nos Estados Unidos e acho que acontece o mesmo aqui no Brasil. Por isso, consideramos tanto os alunos quanto os professores como aprendizes”, afirma.

Mentalidades matemáticas no ensino regular

Além de detalhar a aplicação do Mentalidades Matemáticas no curso, o Porvir conta que a abordagem faz parte do dia a dia dos alunos da Escola Estadual Henrique Dumont Villares, no Jaguaré, desde 2017. E destaca os excelentes resultados no SARESP (Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo), com o desempenho avançado dos alunos de 5º ano passando de 30,7% em 2017 para 42,8% em 2018. “Antes, o professor passava o exercício na lousa, dava a resposta e acabou. Hoje em dia, as crianças discutem e têm que expor o trabalho aos colegas e tentar convencê-los”, disse Nadia Moya Brocardo, coordenadora da escola.

Clique aqui para ler a reportagem na íntegra.