Origem do Dia do Professor remonta à educadora brasileira

School photo created by freepik - www.freepik.com

“Educar é ensinar os outros a viver; é iluminar caminhos alheios; é amparar debilitados, transformando-os em fortes; é mostrar as veredas, apontar as escaladas, possibilitando avançar.” Em seus muitos discursos em defesa da educação, Antonieta de Barros (1901-1952) exaltou a profissão de ensinar e levantou a bandeira de que o acesso ao ensino é um direito de todos. E foi graças aos seus feitos que em todo 15 de outubro os brasileiros voltam suas atenções e homenagens aos professores. A seguir, conheça mais sobre a origem do Dia do Professor e o papel de Antonieta nessa história.

Qual a origem do Dia do Professor?

No calendário católico, 15 de outubro homenageia Santa Teresa D’Ávila (1515-1582). Conhecida por sua intensa devoção à vida religiosa, ela ainda detém o título de Doutora da Igreja. Em sua trajetória, fundou diversos conventos pela Espanha e escreveu livros, incluindo uma obra para educar as monjas da época.

E foi em simbologia à santa e seu papel educador que o então imperador do Brasil Dom Pedro I, em 15 de outubro de 1827, baixou um Decreto Imperial que criou o Ensino Elementar no país. O documento, conhecido como Lei Geral, tratava da descentralização do ensino e também de aspectos como a grade curricular e os salários dos professores.

Mas embora tenha sido um marco para a época, o decreto não escondia o contexto patriarcal em que o Brasil vivia. Segundo a nova lei, meninos e meninas poderiam aprender nas escolas a ler, escrever e calcular. Contudo, o ensino da geometria e da aritmética era exclusivo aos alunos do sexo masculino. Às meninas, cabia somente as quatro operações básicas. No lugar do restante do conteúdo matemático, elas aprendiam as prendas, ou seja, a bordar, cozinhar, costurar…

Uma professora e a revolução

Embora tenha nascido décadas depois da Lei Geral, Antonieta de Barros é um nome fundamental na educação brasileira e na luta para que todos tivessem acesso ao ensino, independente de gênero, raça, classe social. 

Antonieta de Barros, uma das responsáveis pela origem do dia do professor
Imagem: Reprodução

Filha de escravizados, Antonieta nasceu em Florianópolis (SC). Ela concluiu o magistério e em 1922, quando começou a lecionar, criou um curso de alfabetização para pessoas carentes. Engajada, em 1934 foi eleita deputada estadual em Santa Catarina, levantando a bandeira da educação e da igualdade.

“Na perspectiva de Antonieta, o sistema educacional apresentava falhas e para ela o governo estava preocupado em alfabetizar, mas não em possibilitar que os cidadãos e cidadãs dessem prosseguimento aos estudos, sobretudo nas classes menos favorecidas e entre as mulheres”, destacou um artigo da Literafro. Nos jornais, a educadora denunciava fortemente as desigualdades que presenciava e, por meio do seu trabalho, colaborava com a educação sem distinções.

E entre os diversos feitos da primeira deputada estadual negra do Brasil está o projeto de lei que instituiu o Dia do Professor em Santa Catarina. A data escolhida, 15 de outubro, foi justamente em alusão à Lei Geral. Em 1948, seu estado passou a celebrar os educadores em um dia próprio, e a homenagem se estendeu ao calendário nacional em 1963, em um decreto do então presidente João Goulart (1919-1976).

Hoje, décadas depois da origem do Dia do Professor, seguimos celebrando e colhendo os frutos que Antonieta nos deixou. A luta continua, mas grandes educadoras brasileiras como ela e tantos outros deixam o caminho ainda melhor! Parabéns, professor!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *