Seminário MM lança agenda com propostas para a aprendizagem matemática

28 de outubro

O 3º Seminário Mentalidades Matemáticas reuniu em 26 e 27 de outubro representantes de secretarias de Educação e profissionais da área para debater o papel fundamental da matemática no pós-pandemia. Economia, tecnologia, neurociência, equidade e uma nova forma de ensinar matemática foram os temas abordados por palestrantes internacionais, pesquisadores brasileiros e empresários. O resultado do encontro é uma agenda propositiva pela aprendizagem matemática, compartilhada pelo poder público, privado e terceiro setor, bem como pessoas físicas que queiram se engajar na causa

O documento reúne iniciativas com o objetivo de mudar práticas de sala de aula e tornar o ensino da matemática mais visual, criativo e equitativo. Com isso, pretende promover uma compreensão mais ampla da disciplina, para que os indivíduos possam transitar e atuar no mundo digital. 

“O objetivo do 3º Seminário Mentalidades Matemáticas foi discutir temas atuais e relevantes e suas relações com a aprendizagem matemática. Estamos muito contentes com a participação de mais de 20 secretarias e o interesse pela agenda propositiva. Foi um momento de celebrar os dois dias de evento e a intenção de alterar positivamente o cenário da educação matemática nos próximos anos”, afirmou Ya Jen Chang, presidente do Instituto Sidarta.

Entre as ações propostas estão formação de professores, criação de comunidades de aprendizagem, participação em seminários e congressos, troca de experiências sobre aprendizados e boas práticas, além de sensibilizar a sociedade sobre diferentes aspectos da matemática.

 

 A iniciativa visa a contribuir com o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) nº 4, que assegura a educação inclusiva, equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos. Os ODS foram estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU) e compõem uma agenda de metas para melhorar o mundo que devem ser alcançadas até o ano de 2030.

Durante os dois dias do evento, gestores educacionais dos estados de Alagoas, Pernambuco e de cidades como Santos (SP), São José dos Campos (SP), Vespasiano (MG), Ponta Grossa (PR), Candeias (BA), Gravataí (RS) e Altamira (PA) debateram uma nova forma de enxergar e ensinar a matemática. O 3º Seminário Mentalidades Matemáticas foi organizado pelo Instituto Sidarta em parceria com o Itaú Social e apoio do IMPA (Instituto de Matemática Pura e Aplicada).

O programa MM

Responsável por trazer e aplicar no Brasil a abordagem de ensino Mentalidades Matemáticas, desenvolvida na Universidade Stanford, o Instituto Sidarta colhe resultados positivos. O Curso de Férias, realizado com alunos de escolas públicas de Cotia (SP) por 10 dias em 2020, resultou em um salto equivalente a 1 ano e 3 meses em escolaridade matemática, calculado pelo desempenho na avaliação MARS (Mathematics Assessment Resource Service). O Itaú Social transformou o Curso em uma tecnologia educacional, disponível para as secretarias municipais de educação a partir de 2022. 

“Historicamente, a aprendizagem da matemática é um desafio no contexto brasileiro, principalmente se considerarmos alunos mais atingidos pelas consequências das desigualdades sociais, com ênfase na questão de gênero. Estes resultados significam que mais estudantes podem se beneficiar com a metodologia, e é fundamental colocá-la à disposição de todos os municípios e estados brasileiros”, diz a coordenadora de implementação regional do Itaú Social, Claudia Petri.