Marcelo Viana destaca Mentalidades Matemáticas em live do Valor Econômico

22 de março

A abordagem do programa Mentalidades Matemáticas foi citada como exemplo de sucesso por Marcelo Viana em entrevista ao Valor Econômico. Na última quinta-feira (18), o diretor-geral do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa) participou de uma live do jornal e falou sobre as contribuições da matemática no setor privado e a formação de profissionais na área.

A educação matemática também foi assunto na live, e Viana aproveitou para destacar exemplos bem-sucedidos de abordagens de ensino adequadas ao século 21. O trabalho de Jo Boaler, da Universidade de Stanford, aplicado no Brasil pelo Instituto Sidarta foi citado pelo pesquisador, que ressaltou a importância da neurociência aplicada à educação matemática.

“Uma das conclusões que eu adoro recentes da neurologia é a informação de que todos nós nascemos com capacidade para matemática”, relatou. “O cérebro humano é um instrumento plástico. Ele nasce completamente disponível para ser moldado, adaptado para exatas, para humanas, para artes, o que for. O que faz a diferença é o contexto, é o que a gente faz – ou o que fazem – com o nosso cérebro.”

Os pilares do MM

Entre os fundamentos do Mentalidades Matemáticas está o desenvolvimento de uma mentalidade de crescimento. A plasticidade cerebral citada por Marcelo Viana está relacionada, pois consiste na crença de que sempre podemos aprender mais e desenvolver novas habilidades. Nesse contexto, um dos preceitos do Mentalidades Matemáticas é de que todos são capazes de aprender matemática em altos níveis. 

Na live, Marcelo Viana também destacou o fato de que o trabalho de Jo Boaler envolve a parte prática. “Não é pesquisa teórica no gabinete, ela está trabalhando com crianças de verdade e comprovando as conclusões”, afirmou, ressaltando que, ao mesmo tempo, Jo ainda conversa com matemáticos e com o departamento de neurociências de Stanford. “Isso é que é fazer pesquisa de verdade, você ter os dois lados: o conteúdo – a matemática, toda a pesquisa que possa ajudar na construção de técnicas didáticas – e testar as conclusões com crianças de verdade na sala de aula, avaliar o resultado.”

No Brasil

Marcelo Viana ressaltou o trabalho do Instituto Sidarta ao tropicalizar o Mentalidades Matemáticas com alunos brasileiros. “O Instituto Sidarta tem conduzido a adaptação dessas ideias à realidade brasileira em pequena escala, tem que ser dito, mas com resultados muito encorajadores. É algo que deveria ser olhado pelas nossas autoridades como um possível caminho.”

Você pode conferir a entrevista completa abaixo: